terça-feira, 2 de novembro de 2010

ESMERALDAS


Que olhos eram aqueles
Verdes como esmeraldas
De um olhar eterno
Eterno a me olhar

Não desviaste os olhos seus
Não desviei os olhos meus
De um rosto no outro
Nos olhamos sem parar

Me sufocava aqueles olhos
Seus olhos
Olhos verdes

Verdes como a esperança
Dos olhos meus
Voltarem a encontrar
Os olhos teus


Silene Morigi

2 comentários:

  1. Mais do que o espelho da alma;
    pra mim, revela o sentimento,
    que me lembra a todo momento
    aqueles olhos verdes
    que em tudo me acalma.

    ResponderExcluir